Pitões das Júnias

DSC_5522-1_1600x1067Como Gatos Vadios que somos, desta vez, aproveitamos o nosso Domingo para partirmos à procura de neve e viajamos até uma das aldeias mais altas de Portugal: Pitões das Júnias-Montalegre.

Infelizmente, não encontramos a aldeia coberta de neve mas ficamos fascinados com os seus terrenos verdejantes, rodeados pelas belas escarpas da Serra do Gerês.

DSC_5356-1_1600x1067.jpg

Chegados à aldeia, fomos recebidos com um maravilhoso silêncio e por vaquinhas!

Antes de explorarmos a aldeia, estacionamos perto do cemitério e seguimos as indicações que nos levariam até ao Mosteiro e à Cascata. Para quem não gosta muito de caminhar, é possível deixar o carro mais perto… Basta continuar a descer.

O Mosteiro de Santa Maria das Júnias foi construído numa zona afastada do centro da aldeia, junto ao rio e o caminho não é propriamente de fácil acesso, isto porque o objectivo original da construção do mosteiro era ser um ermitério e, sendo assim, foi construído obedecendo às regras de isolamento dos monges.

Regressamos à zona onde tem a indicação para a Cascata de Pitões e seguimos o trajecto, aqui também é possível deixar o carro mais perto.
O caminho inicial é em terra batida mas depois tem um passadiço com cerca de 100 degraus.
Para baixo, todos os santos ajudam… Para cima tem que ser com mais calma!
A vista é de cortar a respiração, valeu bem a pena o esforço porque no fim dos passadiços, fomos surpreendidos com um miradouro com vista para uma queda de àgua de 30 metros (aproximadamente). É possível continuarem pelo trilho até à cascata mas desta vez, não quisemos arriscar por precaução.
Sentem-se, descansem e apreciem estas maravilhas da natureza!
Outro dos percursos emblemáticos de Pitões das Júnias é o da subida à capela de São João da Fraga. Quase todos os habitantes da aldeia, cumprem todos os anos uma tradição religiosa. Sobem ao alto de uma serra com mais de 1000 metros de altitude e numa pequena capela ( que ninguém sabe porquê nem por quem foi construída), rezam em honra de São João da Fraga. No regresso, comem a merenda, deixada na ida num carvalhal lindíssimodançando ao som das concertinas. Essa aventura, deixaremos para uma próxima visita!

Depois de recompostos do esforço físico 😂, fomos almoçar à Taberna Celta. Optamos por provar um bocadinho de tudo e fomos servidos com uma Alheira, uma Sangueira, uma Chouriça de Abóbora, uma Chouriça de Carne, Broa de Pitões e para sobremesa: Queijo com Chila e Aletria… Muito bom!!! Já precisávamos de outra caminhada!

Nestes passeios, além de ficarmos a conhecer as regiões, gostamos de provar todos os petiscos e iguarias, e sendo Pitões, uma terra de fumeiros, era impossível não virmos carregadinhos para casa.
Encontramos a banca da dona Luísa Jorge, dentro de uma garagem, perto da Taberna Celta. Fumeiros fresquinhos e caseiros!
E, como a bela da chouriça,obriga a um bom pão, fomos à Padaria Pitões comprar uma Broa e um bolo com recheio de ovo ( massa de brioche).

De barriga e carro cheio, partimos à descoberta de outras aldeias até à fronteira.
Uma delas foi a aldeia de Tourem.

Pelo caminho, é possível observarem várias aldeias completamente isoladas e um pouco distantes umas das outras.
Aconselhamos a irem com tempo porque todas elas merecem uma visita!

Boas viagens!

Como planeamos a nossa Viagem :

Ao fazeres a reserva através dos links abaixo, estás-nos a ajudar a manter o blogue activo e sem influência nas nossas opiniões.

Resultado de imagem para saúde iconAo fazeres o teu seguro de viagem através da IATI Seguros, estás de imediato a poupar 5% e ainda ajudas os Gatos!

Resultado de imagem para hotel icon Podes encontrar os melhores preços na reserva de todas as tuas estadias através do Booking.com



Deixe uma resposta