Serra da Lousã, o encanto da zona centro

Ninguém fica indiferente a tragédias, e os incêndios que tem fustigado o nosso país fazem-nos sentir que devemos explorar e ajudar as regiões mais vitimizadas. São estes pequenos gestos que poderão fazer a diferença e daí termos escolhido o centro de Portugal para passarmos um fim de semana.

Com tantas opções de escolha, decidimos fazer a Rota das Aldeias de Xisto, mas como são 27 aldeias espalhadas pela Serra da Lousã, Serra do Açor, Zêzere e Tejo-Ocreza, escolhemos a Serra da Lousã para a nossa aventura!

DSC_0308-3_1600x1068

Um dos nossos objetivos desta viagem, era também conhecer o projeto “Isto é Lousã”, criado por anónimos apaixonados pela Serra da Lousã que engloba várias atrações de madeira espalhadas pela serra.

DSC_0533_1600x1067

Devido ao pouco tempo disponível para vermos todas as atrações e as aldeias, tivemos que escolher apenas 5 para visitar, mas se tiverem oportunidade não deixem de conhecer as 12:

*Aigra Nova
*Aigra Velha
*Candal
*Casal de São Simão
*Casal Novo
*Cerdeira
*Chiqueiro
*Comareira
*Ferraria de São João
*Gondramaz
*Pena
*Talasnal

Iniciamos a nossa viagem por Cerdeira – uma aldeia das histórias de encantar, perdida no meio da vegetação verde. Atravessando a sua pequena ponte, percorremos todas as ruas labirínticas e descobrimos um pequencafé e uma loja com produtos típicos: Planta do Xisto. Como amantes de chás e infusões, foi inevitável fazermos uma prova de degustação sem trazermos uns produtos para casa!

Um pouco antes de chegarmos a Casal Novo, encontramos uma das atrações do Isto é Lousã, e claro, tivemos que parar para fotografar. É neste ponto que temos a vista mais bonita sobre Talasnal.

RCF_3495_1600x1020
Em Casal Novo, fomos surpreendidos com escadas, muitas escadas! Desçam até ao fim, espreitando para todos os cantos, e no final serão surpreendidos por uma “varanda panorâmica”! Recuperem aqui as energias e contemplem a vista para a Lousã e para o seu Castelo. Quando subirem, poderão refrescar-se com a água fresca da sua Fonte!
Desde 1981 que a aldeia não tem qualquer habitante permanente, quase todas as casas passaram para segunda habitação e Alojamentos Locais.

“No dia em que o último habitante se meteu ao caminho, já de malas aviadas, avistou as camionetas que chegaram para abrir a estrada e ligar a luz, objetivos por que sempre lutara dezenas de anos” ­- in Serras de Portugal (1994)

DSC_0375_1600x1067

E finalmente… Talasnal! A aldeia mágica que tantos turistas atrai e agora percebemos o porquê! É realmente bonita, cheia de pequenos detalhes e merece mais tempo para ser explorada. Corremos todas as suas ruazinhas e, como devem imaginar, perdemo-nos nas fotografias!

Hora de almoço e a fome já apertava… Reservamos previamente uma mesa no Restaurante Ti Lena em Talasnal e como tal, seguimos caminho. O restaurante tem excelentes referências e funciona com reservas. Assistimos a muitas pessoas perderem a oportunidade de experimentar as iguarias do Ti Lena por não terem reserva. (Dica importante!)

Bem abastecidos com Bacalhau assado e Cabrito, seguimos rumo ao Chiqueiro.
Recheada de abelhas, é das aldeias mais pequeninas e, para já, sem alojamentos locais. Descobrimos a Capela da Senhora da Guia, que era partilhada pelos habitantes de Casal novo e Talasnal.
Desde 1991 que mantém apenas dois habitantes e nós vimos um deles… Achamos a aldeia mais genuína!

Apenas as campaínhas do rebanho parecem contrariar a sensação de que aqui o tempo parou há muito.”

No percurso de Chiqueiro para Gondramaz, encontramos mais duas atrações de madeira e, claro, perdemos lá mais uns minutos nas brincadeiras fotográficas!

Quando avistamos Gondramaz ao longe, ficamos logo entusiasmados! (Que aldeia bonita…) Muito bem conservada e a sua beleza até no piso está refletida! Foi aqui que conhecemos uma senhora que nos recebeu com um licor de café. A única habitante local com quem conversamos pelas 5 aldeias que visitamos, e que nos contou que lá só habitavam 11 pessoas, mas que a aldeia agora estava sempre “cheia de turistas”. 

Ao fim do dia, partimos em direção ao famoso Baloiço de Trevim –  viagem cheia de curvas e contracurvas mas que se torna agradável pela quantidade de área verde circundante! Escolhemos a hora dourada para fotografarmos as vistas de Trevim e libertarmos a nossa criança interior enquanto brincávamos no baloiço!

Descemos toda a serra em direcção ao Castelo da Lousã, para podermos jantar no Restaurante Burgo e visitar a praia fluvial da Nossa Sra da Piedade e o seu iluminado baloiço!
O restaurante também é bastante requisitado, daí carecer de reserva. Acolhedor, com carnes típicas da região e sobremesas com nomes apelativos, espreitem o cardápio e surpreendam-se!

DSC_0248-2_924x1200

Onde Dormir?

Poderão ficar alojados na Lousã, na Aldeia de Cerdeira ou Talasnal.

Para amantes de campismo, o parque mais próximo é o de Serpins.

Além destes locais todos que visitamos, dedicamos um dia a explorar Serpins e as suas praias fluviais e poderão ver tudo aqui*.

Bons passeios!

 

Como planeamos a nossa Viagem :

Ao fazeres a reserva através dos links abaixo, estás-nos a ajudar a manter o blogue activo e sem influência nas nossas opiniões.

Resultado de imagem para saúde iconAo fazeres o teu seguro de viagem através da IATI Seguros, estás de imediato a poupar 5% e ainda ajudas os Gatos!

Resultado de imagem para hotel icon Podes encontrar os melhores preços na reserva de todas as tuas estadias através do Booking.com



5 Replies to “Serra da Lousã, o encanto da zona centro”

  1. Também andei por aí este ano, mas fui a Aigra Nova, Aigra Velha, Pena e Comareira. Todas diferentes. Essas aldeias são lindas, mas é muito dura a vida aí, principalmente no Inverno. É mais romântico que realista fazer vida nesses sitios. 🙂

    1. Acreditamos mesmo que seja duro, a distancia da vila não é muita mas são kms dificeis de percorrer… 🙂

  2. Ainda não consegui visitar este recanto magnífico de Portugal, mas vocês acabaram de me abrir (bastante) o apetite! Grandes fotografias 😉

    1. Obrigada Miguel… ficamos muito felizes por conseguir despertar o interesse 😀 Não se irá arrepender! Boas viagens…

  3. Olá 🙂
    Este percurso que fizeram para conhecer estas aldeias, foi sempre de carro? como chegaram ao baloiço do alto do trevim?
    Quanto tempo demora conhecer/fazer esta viagem?

    Obrigada,
    Joana Almeida

Deixe uma resposta