Termas de Ourense

Como a vida não é só trabalho, resolvemos ir até à Cidade Termal-Ourense passar um fim de semana e experimentarmos as suas famosas termas.
O stress do dia a dia tem as suas consequências físicas e então, nada melhor que uns banhos em águas quentes e terapêuticas para relaxar os músculos e aliviar as contraturas.

Que termas devemos escolher? 

Na nossa pesquisa encontramos boas referências a três balneários termais: termas de Prexigueiro em Ribadavia, termas da Chavasqueira e de Outariz no centro de Ourense, além de umas poças de água termal chamadas Muiño de Veiga, também em Ourense.

A ideia inicial era explorar as três estâncias termais num só fim de semana mas, no entanto, percebemos que será melhor desfrutar em várias visitas.

Termas de Prexigueiro

Por uma questão de proximidade com o local da nossa estadia, optamos por experimentar as termas de Prexigueiro. Este balneário encontra-se a 1h 30min do Porto e está escondido num pinhal. Neste momento o edifício principal está em obras, mas o circuito termal está operacional.

O preço da entrada são cerca de 5,50 euros e na receção terás que preencher uma folha com os teus dados pessoais e clínicos. Ao receberes a chave do cacifo terás também que entregar um objeto de valor pessoal que será devolvido na saída. É expressamente PROIBIDO fotografar o recinto, daí termos apenas fotografias do exterior.

Os balneários oferecem boas condições de higiene, mas terás que tomar banho antes de te dirigires para o circuito termal. Esta medida de higiene é muito importante para manterem as águas sempre limpas, por isso não a passes à frente.

Já no recinto ao ar livre encontrarás seis piscinas/tanques de água quente, com uma decoração japonesa, música ambiente e serás envolvido pela tranquilidade do espaço. As piscinas estão numeradas e seguem uma ordem, em todas elas encontrarás uma placa com o nome em japonês e com a temperatura da água. O tempo máximo que deves estar em cada uma são 10 min e deves intercalar com os banhos de água fria. Faz o circuito completo respeitando os tempos, mantém-te em silêncio e refresca-te com água que podes levar contigo. Ao fim de 1 h 30 min, terás que abandonar o recinto.
É natural que no dia seguinte anda sintas um odor caraterístico na pele e cabelo, mas desaparecerá com o tempo.

Poças de Muiño de Veiga

No dia seguinte, óptamos por conhecer um balneário público: Muiño de Veiga. São quatro piscinas ao ar livre, na margem do rio Minho, e com temperaturas diferentes em cada uma. O ambiente não é tão agradável como nas termas privadas, mas dá para passar umas boas horas. Também é possível estender a toalha e apanhar um pouco de sol ou fazer uma caminhada pelo parque da zona. A grande vantagem é ser gratuito e não haver um limite de tempo para desfrutar do circuito.

Em relação às Termas da Chavasqueira e de Outariz, não chegamos a visitar mas se conheceres alguma destas ou até mesmo outros balneários, deixa-nos a tua opinião nos comentários, por favor.

O que levar para as termas?

  • Fato de banho antigo porque há probabilidade de se estragarem
  • Chinelos
  • Cabelo preso, mas em algumas termas poderão pedir touca
  • Garrafa de água para te ires hidratando
  • Toalha de banho
  • Muda de roupa interior
  • Produtos de higiene corporal

Onde dormir em Ourense?

Nesta nossa viagem, óptamos por acampar e tivemos alguma dificuldade para escolher o parque pois a oferta é escassa. Ficamos no Camping Arenteiro e fomos muito bem recebidos. As instalações são amplas, simples mas limpas.

Caso optes por escolher um hotel em Ourense, podes alojar-te perto das Termas de Outariz nos hotéis: Eurostars Auriense, Hotel Francisco II e Hotel Alda Estación Ourense. Pesquisa o teu hotel através do nosso link do Booking.

 

Como é probido fotografar as termas, neste artigo partilhamos convosco algumas das imagens que captamos durante esse fim de semana no parque de campismo de Arenteiro e no Miradouro de Vilouxe.

 

4 Replies to “Termas de Ourense”

  1. Que lindas fotos… deve ser daqueles locais onde se renova alma e o stress vai embora!

    1. Sem dúvida! Obrigado

  2. Que lindo! Obrigada pela partilha e pelo artigo tão bem detalhado, fiquei com vontade de lá ir 🙂

    1. Obrigada 🙂

Deixe uma resposta